Fauna Ediacara

A história geológica da Terra é pontuada pelos ciclos dos supercontinentes, envolvendo a fragmentação e a aglutinação de grandes massas continentais. O Neoproterozoico registra um ciclo de supercontinente através da quebra de Rodínia e posterior aglutinação de Gondwana.

Rodínia ter-se-á formado por acreção e colisão de  fragmentos de placas litosféricas essencialmente resultantes de massas continentais constituintes de um supercontinente ainda mais antigo, a Colúmbia. Durante a fragmentação da Rodínia ocorreram também mudanças importantes nos subsistemas terrestres com o registo a nível da Biosfera da fauna de Ediacara que floresceu nos ambientes de praias rasas formadas pela fragmentação do supercontinente. Além disto, esta foi uma Era com drásticas mudanças climáticas e ambientais, com o registro de dois eventos panglaciais e repetidas perturbações no ciclo do carbono.

Na Austrália, em Ediacara Hills, no ano de 1947, descobriu-se uma jazida de fósseis, com organismos multicelulares de idade proterozóica. A datação radiométrica permitiu atribuir a esta jazida uma idade entre 680 e 700 Ma. Estes fósseis Ediacarianos do Neoproterozoico não tinham conchas ou esqueletos de qualquer tipo  que hoje fôssemos capazes de reconhecer.

Com ampla distribuição global e considerados por muito tempo como ancestrais do filo dos metazoários, os organismos que constituem a Fauna Ediacara clássica, Foto 1, não possuem relação com qualquer ser existente, em qualquer período da história da Terra. Além das bizarras formas de folhas ou penas-do-mar, da sua falta de esqueletos biomineralizados, um grupo de geólogos propôs a criação de um novo Reino –Vendobionta.

Foto 1 –  Segundo o geólogo Dolf Seilacher, os Vendobiontes tiveram uma estrutura pneumática acolchoada que lhes endureceu os corpos e permitiu-lhes alcançar um tamanho razoável de corpo. São representantes deste grupo as (A) Dickinsonia (D) Charnia. Fotos no Nature Education Center – Cracóvia (Polónia).

Os “Ventobiontes” como lhes chamou Seilacher, foram interpretados como uma diversificação independente de animais, tendo resolvido problemas estruturais de forma muito diferentes de quaisquer seres hoje habitando a Terra. Esta Fauna de Ediacara desapareceu quase totalmente.  

Há cerca de 540 Ma as Faunas Ediacara extinguiram-se, mas  o seu desaparecimento não deixou a Terra carecida de vida. Na verdade um dos grandes acontecimentos da história da vida estava prestes a chegar – A Explosão do Câmbrico.

 Texto adaptado de:

http://www.repositorio.ufop.br/jspui/handle/123456789/11772

SEILACHER, A. 1992. Vendobionta and Psammocorallia: lost constructions of Precambrian

evolution. Journal of the Geological Society, 149: 607-613.

SEILACHER, A.; MESCHEDE, M.; BOLTON, E. W.; LUGINSLAND, H. 2000. Precambian “fossil” Vermiforma is a tectograph. Geology, v. 28, n°5, pp. 235-238.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑