O presente é a chave do passado

 

A importância das rochas sedimentares na reconstituição de acontecimentos passados relaciona-se com o seu conteúdo fóssil e com outras características, como sejam a cor, as composições química e mineralógica, a estrutura interna dos estratos, as relações geométricas entre eles, o aspecto dos planos de estratificação (onde podemos incluir as marcas de corrente) e a forma e dimensão dos detritos.

Segundo o Actualismo Geológico, ao longo da História da Terra os fenómenos geológicos têm actuado de forma idêntica, de modo que podemos explicar o passado tendo em conta o presente.

As marcas de corrente, são uma superfície ritmicamente ondulada, com comprimento de onda centrimétrico a decimétrico, em sedimentos arenosos ou siltosos que se forma em dunas, pela acção do vento, e em ambientes sub-aquáticos, pela acção de onda e de correntes. 

 
Marcas de ondulação na praia da aguda

Foto : Marcas de corrente de origem marinha na Praia da Aguda – V.N. de Gaia. PT. Foto gentilmente cedida por João Nogal

As marcas de corrente além de definir a sequência estratigráfica, servem para nalgumas situações, determinar o rumo preferencial da corrente eólica ou aquática, pois o lado mais íngreme é o lado contrário ao do fluxo.

 
Sentido da Corrente

Foto de marcas de corrente fossilizadas. Museu de História Natural – Londres. Reino Unido.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: