O presente é a chave do passado

Agosto 27, 2010

 

A importância das rochas sedimentares na reconstituição de acontecimentos passados relaciona-se com o seu conteúdo fóssil e com outras características, como sejam a cor, as composições química e mineralógica, a estrutura interna dos estratos, as relações geométricas entre eles, o aspecto dos planos de estratificação (onde podemos incluir as marcas de corrente) e a forma e dimensão dos detritos.

Segundo o Actualismo Geológico, ao longo da História da Terra os fenómenos geológicos têm actuado de forma idêntica, de modo que podemos explicar o passado tendo em conta o presente.

As marcas de corrente, são uma superfície ritmicamente ondulada, com comprimento de onda centrimétrico a decimétrico, em sedimentos arenosos ou siltosos que se forma em dunas, pela acção do vento, e em ambientes sub-aquáticos, pela acção de onda e de correntes. 

 
Marcas de ondulação na praia da aguda

Foto : Marcas de corrente de origem marinha na Praia da Aguda – V.N. de Gaia. PT. Foto gentilmente cedida por João Nogal

As marcas de corrente além de definir a sequência estratigráfica, servem para nalgumas situações, determinar o rumo preferencial da corrente eólica ou aquática, pois o lado mais íngreme é o lado contrário ao do fluxo.

 
Sentido da Corrente

Foto de marcas de corrente fossilizadas. Museu de História Natural – Londres. Reino Unido.

Anúncios

Geologia Médica

Agosto 14, 2010

Existem um conjunto de doenças cuja etiologia (estudo das causas) está relacionada com minerais e ambientes geológicos e é influenciada pelo tipo de fonte e da via de exposição, pela intensidade e duração da exposição e, também, pelas propriedades físicas e químicas dos minerais envolvidos. Tendo em conta estas propriedades, os minerais podem ser essenciais para manter o corpo em boa forma (geofagia, hidroterapia, balneoterapia, dermofarmácia, dermocosmética), mas em certas circunstâncias, a deficiência ou o excesso podem constituir factores de desenvolvimento de doenças (silicose, asbestose, selenose, etc).

A preocupação crescente das sociedades relativamente às interacções com o meio ambiente/saúde está na base do ressurgimento de uma nova e interessante área do saber, hoje denominada Geologia Médica, a qual foi antes chamada Geomedicina, Geologia Ambiental, Geoquímica Médica, designações todavia não equivalentes.

O principal objectivo desta nova área científica emergente (Geologia Médica), é o estudo dos impactes negativos e positivos dos elementos químicos e de minerais na saúde pública.

Neste post vou apenas referir a importância das águas minerais naturais, termais ou não.

O uso da água mineral natural para prevenir e curar doenças remonta a 50.000 anos atrás, isto é, à Idade do Bronze.

Água termal é aquela cuja temperatura é notoriamente mais alta do que a temperatura atmosférica média do local onde emerge. A água de nascente termal pode considerar-se muito quente ou escaldante, quando a sua temperatura se situar próximo da temperatura da água fervente, ou somente quente quando a sua temperatura for notoriamente mais alta do que a temperatura atmosférica do local onde emerge, mas inferior à temperatura do corpo humano.

A água mineral natural é uma água bacteriologicamente aceitável, de circulação profunda ou extensa na crosta terrestre, que possui propriedades físico-químicas estáveis na sua origem e lhe conferem interessantes propriedades terapêuticas, ou simples efeitos favoráveis à saúde, devido à natureza e teor em minerais que contém.

A Hidrologia Médica é uma designação abrangente de todos os domínios científicos que se ocupam do uso medicinal da água, métodos de aplicação e soluções. 

A hidroterapia consiste no uso da água com bases científicas, como agente terapêutico no tratamento de patologias variadas, utilizando vários modos ou processos e várias gradações de temperatura (desde água gelada até ao vapor de água).

A balneoterapia é a ciência que se ocupa dos banhos e dos modos de os fazer, inclusive dos seus efeitos no tratamento da doença.

A crenoterapia (termo derivado do Francês crénotherapie) consiste na administração interna (consumo oral) de uma água mineral para o tratamento da doença. A natureza e a extensão das reacções estão dependentes dos constituintes químicos que predominam na água e dos teores respectivos.

Termas de Caldelas – Amares, distrito de Braga. Pt

Importância de “ir a banhos”…..

Tomar banho em água mineral quente ou fria tem muitos efeitos benéficos, porque condiciona a circulação do sangue através do sistema multi-camada que é a pele humana. Por exemplo, os benefícios primários da aplicação do calor incluem: dilatação dos vasos sanguíneos, excitação das terminações nervosas, aceleração e facilitação da respiração e aumento da produção de ureia.

 FONTE : Impactes positivos de minerais e ambientes geológicos na saúde humana. C.S.F Gomes e J.B.P. Silva – “Ciências Geológicas – Ensino e Investigação e sua História” – Vol II. APG