Mantos Basálticos do Paraná-Etendeka

Durante a ruptura continental no início do Cretácico, um volumoso vulcanismo basáltico cobriu grande parte da Bacia do Paraná dando origem à formação Serra Geral no sul da América do Sul.

Este derrame magmático também ocorreu no lado oeste Africano, na Namíbia, conhecido por vulcanismo Etendeka. A Bacia do Paraná-Etendeka recobre toda a porção centro-oriental da América do Sul, estendendo-se a até o noroeste da Namíbia, oeste do Continente Africano. Estas áreas apresentam características geológicas semelhantes nos dois continentes, sendo um dos argumentos utilizados como indicador da presença de um grande continente, pré abertura do oceano Atlântico e da deriva continental, denominado de Gondwana, cuja fragmentação iniciou-se ao redor dos 120 Ma (milhões de anos). 

As províncias Paraná-Etendeka (formadas antes afastamento das placas Africana e Sul-Americana) estão, provavelmente, relacionadas com o hot spot Tristão da Cunha.

 Todavia, existe uma grande discussão sobre a relação entre os derrames continentais, a actividade do hot spot e o estágio tectónico em que tais derrames teriam ocorrido.

Fonte : Nouveau voyage au centre de la Terre – Vincent Courtillot

http://www.anp.gov.br/CapitalHumano/Arquivos/PRH11/Thiago-Barreto-Simoes-Correa_PRH11_UERJ_G.pdf

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: