Energia Nuclear

Maio 16, 2010


Granito de Lavadores – algumas notas

Maio 8, 2010

  Na praia de Lavadores aflora um maciço granítico com características bem definidas e que se estende pelas regiões do Canidelo, Madalena e Valadares (Alves, 1966). É um afloramento alongado, com orientação NW-SE, com cerca de 25 km de comprimento e 4 km de largura máxima; aparece também em retalhos a norte do rio Douro, perto da foz – Praia da Luz e Castelo do Queijo (Canilho, 1975).

O afloramento do granito de Lavadores tem início no Cabedelo, estendendo-se para Sul onde contacta bruscamente com gnaisses leucocratas (praia das “Pedras Amarelas) pertencentes à ZOM; para o interior define um alinhamento paralelo à ZCPT (Martins et al. 2000). Muitos autores advogam que nesta zona ocorre o contacto entre a ZCI e a ZOM. O granito de Lavadores aproveitou precisamente esta zona de fraqueza da crusta terrestre para se instalar no seio de rochas mais antigas (Marques et al. 2000).

O granito de Lavadores é uma rocha granodiorítica-monzonítica (Silva, 2001; Silva & Neiva, 1998; 1999), a matriz é constituída por plagioclase do tipo albite-oligoclase frequentemente zonada; feldspato potássico, pertitizado, que inclui muitas vezes pequenas gotículas de quartzo; quartzo em quantidade apreciável; a biotite é o mineral máfico constante; nas zonas de contacto entre o feldspato potássico e a plagioclase aparecem, por vezes fenómenos de mirmequitização. Entre os minerais acessórios destacam-se a apatite, esfena, zircão e alanite. Sericite, minerais caulinicos e clorite são produtos de alteração de feldspatos e biotite (Canilho, 1975).

Encraves melanocráticos

No seio deste granito de cor rósea aparecem encraves melanocráticos essencialmente biotíticos e de tamanho variável. A erosão diferencial coloca-os, por vezes, em relevo positivo ou negativo, dada a sua maior ou menor resistência, respectivamente (Ferreira et al. 1995).

O granito de Lavadores é caracterizado pela ocorrência de numerosos encraves de rochas com cor mais escura (mais ricas em biotite e mais pobres em quartzo). Este facto pode ser explicado pela cristalização mais ou menos simultânea de dois magmas imiscíveis e com diferentes viscosidades.

Podemos ainda encontrar, no granito de Lavadores, aspectos típicos de estruturas de fluxo magmático definindo alinhamentos caracterizados ou pela alternância de bandas escuras de biotite com bandas mais claras ou ainda por corredores de encraves.

 

Enxames de megacristais (A) e Estruturas Fluidais (B) resultantes da cristalização de dois magmas em simultâneo.

Estruturas fluidais

Estas estruturas que parecem demonstrar um fluxo magmático são caracterizadas pela disposição alternante de faixas escuras, essencialmente de constituição biotítica, e outras mais claras, assim como pela orientação de megacristais, alinhados de um modo concordante com as faixas mencionadas (Teixeira, 1970 )

 

 Estruturas de fluxo magmático marcadas pelo alinhamento de cristais de biotite e de megacristais de feldspato potássico.


Europa e o excesso de precaução!

Maio 6, 2010

Os governos europeus fizeram pior que exagerar. Deram um tiro no pé. São palavras do geólogo francês Claude Allègre. Desta vez as afirmações não têm por alvo o “aquecimento global”.

“Para mim o que sucedeu é um indício de uma Europa em declínio. O princípio da precaução que foi amplamente difundido, não teve no vulcão islandês o seu primeiro episódio. Começou com o H1N1 este ano, e vinha detrás com a histeria do aquecimento global. De todas estas vezes a economia europeia sofreu um forte abanão! Como se fosse necessário! Como se a Índia e a China, enquanto a Europa ficava debaixo de cinzas, parassem o desenvolvimento. Apenas ao quinto dia os governos começaram a enviar aviões militares para testarem a perigosidade das nuvens: deveria ter sido logo, desde o primeiro dia! A Europa ficou toda presa no princípio de precaução – de forma totalmente irracional, aliás – quando os voos foram retomados ao sexto dia, a nuvem continuava lá. Nalguns países proibiram mesmo voos de jactos particulares e helicópteros, duas situações sem risco, uma vez que são voos a baixa altitude. É talvez tempo de dizer não a tanta hiperprecaução!”

Excerto retirado da entrevista – Le Figaro (Tradução)