Voar ou não voar, eis a questão

Muito tem sido dito e escrito sobre a nuvem de cinzas e a proibição de voar. Não sou especialista nem em vulcanologia nem em engenharia aeronáutica. Apenas sou um geólogo que lê um pouco e dá aulas sobre vulcões no ensino secundário.

A Força aérea filandesa fez voar F-18 na nuvem de cinzas (link). As imagens não deixam dúvidas sobre os efeitos das cinzas nos aparelhos, sobretudo nos motores.

As conclusões são claras:  “The images show that short-term flying can cause substantial damage to an aircraft engine,” the air force says. Continued operation could lead to overheating and potentially pose a threat to the aircraft and its pilot, it adds.

Existe algo que se chama “princípio de precaução”O princípio de precaução pode ser invocado sempre que seja necessária uma intervenção urgente face a um possível risco para a saúde humana, animal ou vegetal, ou quando necessário para a protecção do ambiente caso os dados científicos não permitam uma avaliação completa do risco. Este princípio não deve ser utilizado como pretexto para acções proteccionistas, sendo aplicado sobretudo para os casos de saúde pública, porquanto permite, por exemplo, impedir a distribuição ou mesmo a retirada do mercado de produtos susceptíveis de ser perigosos para a saúde.”

Voar no fim de semana de 17 e 18 de Abril era um perigo. Por muito que nos custe, o risco de acidentes seria elevado. Há uma altura em que é necessário dizer : não! é preferível  ter prejuízos financeiros a perder vidas humanas.

 Nesta situação é fácil por em causa decisões dos vulcanólogos, dos serviços responsáveis pela  aeronáutica, etc…

E se não tivesse ocorrido uma interdição do espaço aéreo e um acidente ocorresse em Londres, Paris ou Berlim? Se fosse um familiar nosso? As mesmas vozes que hoje criticam estariam a defender a permissão de voar?

Links interessantes:

http://www.flightglobal.com/articles/2010/04/16/340727/pictures-finnish-f-18-engine-check-reveals-effects-of-volcanic.html

 

Uma resposta a Voar ou não voar, eis a questão

  1. cefaria diz:

    A verdade é que se o vulcão não aumentar a sua actividade e reduzir as emissões de piroclastos para uma área restrita em torno de si, a nuvem ao expandir-se diminuirá a concentração de partículas e abaixo de determinado valor o perigo para a aviação reduz-se.
    Contudo, na fase inicial a concentração seria elevada, tal como o risco para os aparelhos e seus passageiros. Por isso, neste momento, o princípio da precaução foi fundamental.
    A única dúvida é definir o limite para depois abrir o espaço aéreo. sobre isto não sei se este foi aberto antecipadamente, devido às pressões económicas, ou atempadamente, por o risco passar a ser aceitável.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: