Sismo de magnitude 7.0 atinge o Haiti

Haiti acaba de ser sacudido com um sismo de magnitude 7.0. Epicentro localizado a 15 quilómetros a sudoeste de PORT-AU-PRINCE.  Lançado alerta de risco de Tsunami.  São ainda poucas as informações sobre os estragos provocados por este sismo. Risco de Tsunami é grande neste contexto tectónico (fonte Sky News).  Segundo a Reuters, ABC e Sky News o sismo terá tido magnitude 7.3. Dados do USGS, ver em baixo, indicam magnitude 7.0.

Últimas – Jornal Público (13 de Janeiro 2010) – Poderá demorar vários dias até se conhecer o número exacto de vítimas do violento terramoto que devastou a capital do Haiti, Port au Prince, às 4h53 da tarde de ontem (21h53 hora portuguesa).

Enquadramento Tectónico

Os primeiros humanos no Haiti, também conhecido como La Española’ ou Hispaniola, chegaram à ilha há mais de 1000 anos aC, possivelmente 7000 aC. Em 5 de dezembro de 1492, Cristóvão Colombo ao viajar para o ocidente atingiu uma grande ilha. Mais tarde passou a ser chama de São Domingos; dividida entre dois países – a República Dominicana e o Haiti – , é a segunda maior das Grandes Antilhas, com a superfície de 76.192 km² e cerca de 9 milhões de habitantes. Com 640 km de extensão entre seus pontos extremos, a ilha tem formato semelhante à cabeça de um caimão (pequeno crocodilo abundante na região), cuja “boca” aberta parece pronta a devorar a pequena ilha de Gonâve. O litoral norte abre-se para o oceano Atlântico, e o sul para o mar do Caribe (ou das Antilhas).

Dados do USGS para o sismo

Um sismo de magnitude 7,0 abalou o Haiti ontem à noite, seguido de fortes réplicas, matando dezenas e fazendo ruir inúmeros edifícios, incluindo os das autoridades públicas. O embaixador do Haiti nos EUA fala em “grande catástrofe”. O alerta de ‘tsunami’ foi entretanto retirado, mas ainda há perigo para barcos e estruturas junto da costa. As Nações Unidas preparam já uma operação maciça de auxílio internacional, para coordenar os esforços de países que mostraram disponibilidade para ajudar o Haiti.

Um repórter da AFP contou que o abalo se prolongou durante um minuto e que os carros saltaram da estrada. Um jornalista da AP disse que a capital Port-au-Prince estava envolva numa nuvem de pó e que se ouviam gritos.

Um responsável do Departamento de Agricultura dos EUA em visita à região contou que viu algumas casas caírem de uma ravina. “Ouvi um estrondo e muitos gritos à distância”, descreveu Henry Bahn. “As pessoas estão descontroladas, em pânico. Eu só consegui encostar-me a uma parede”, acrescentou.

Testemunhas dão conta de dezenas de mortos, feridos e desaparecidos entre os escombros. Familiares contactados por uma funcionária da CNN referem que viram edifícios destruídos e corpos de vítimas.

Um jornalista de uma televisão haitiana, Haitipal, que emite através da Internet, relatou a ocorrência de desmoronamento de numerosos edifícios públicos da capital, incluindo “o Palácio Nacional, o Ministério das Finanças, o Ministério do Trabalho Público, o Ministério da Comunicação e da Cultura, o Palácio de Justiça, a Escola Superior”, o Parlamento e a Catedral de Port-au-Prince.

A AFP reporta que o sismo destruiu um hospital na capital e que há também edifícios desmoronados em outras localidades do Haiti.

Segundo esta agência, a sede da missão da ONU no país ficou destruída e e há inúmeros escombros, feridos e mortos.

O embaixador haitiano nos EUA anunciou uma “grande catástrofe”, no país mais pobre do continente americano e que tem sido devastado por furacões.

O primeiro abalo fez-se sentir às 16.53 (21.53 em Lisboa) e foi seguido potentes réplicas. Para já, até às 02:06, hora de Lisboa, o US Geological Center contabilizava 14, oito acima de 5,0 graus de magnitude, as restantes perto desse registo. A réplica mais forte foi a primeira registada, às 17:00 locais (22:00 em Lisboa), e chegou aos 5,9, seguida de outra de 5,5 doze minutos depois. Os abalos continuam a última registada antes das 02:06 foi a terceira mais forte: 5,4.

O Centro de Alerta de Tsunamis dos EUA avisou para o perigo de uma onda gigante atingir as ilhas num raio de cem quilómetros. A República Dominicana – que divide Hispaniola com o Haiti -, as Bahamas e Cuba soaram o alerta. Horas depois o alerta foi retirado, tendo-se registado apenas um pequeno maremoto local, mas o Pacific Tasunami Warning Center avisa que os riscos para barcos e estruturas costeiras manter-se-á “durante várias horas devido a correntes rápidas”.

Este organismo adianta ainda que foram registados pequenos tsunamis em Santo Domingo, República Dominicana, e em outras áreas das Caraíbas, mas, “com base nestes dados, poderão ter havido ondas de maremoto destruidoras nas zonas junto ao epicentro”.

O epicentro do sismo foi no mar 16 quilómetros ao largo de Port-au-Prince e a dez quilómetros de profundidade. O abalo foi sentido na prisão americana de Guantánamo, na ilha de Cuba.

A população encheu as ruas, as comunicações na região foram seriamente afectadas e as operações de salvamento prometiam continuar pela noite dentro.

O Presidente dos EUA, Barack Obama, lamentou a tragédia e prometeu que o seu país vai enviar ajuda para o Haiti. Também a França tomou a mesma iniciativa. A Venezuela anunciou que vai enviar uma equipa de 50 peritos em operações de socorro e as Nações Unidas preparam já uma operação maciça de auxílio internacional.

Um país devastado pelos furacões

O terramoto de ontem é apenas o último de uma série de desastres naturais que têm devastado o Haiti. O pequeno país das Caraíbas resistiu mal à passagem dos furacões, nos últimos anos. No Verão de 2008, as enormes cheias fizeram perto de 800 mortos. Meses depois, o balanço tornou-se mais negro quando uma escola de Port-au-Prince ruiu e esmagou 500 crianças e professores. A maioria dos que sobreviveram ficaram sem casa e tiveram de começar do zero. A ONU apelou à ajuda internacional e em 2009 o FMI perdoou 80% da dívida do país.

O Haiti ocupa o terço ocidental da ilha Hispaniola e faz fronteira com a República Dominicana. É um país extremamente pobre, tendo sido considerado como o mais pobre de todo o continente Americano.

Fonte : DN Globo

Uma resposta a Sismo de magnitude 7.0 atinge o Haiti

  1. Cyntia diz:

    Sabem se já foi feito uma animação digital sobre este fato geológico? Gostaria de saber em detalhes o que geologicamente aconteceu. A imprensa costuma especular muitíssimo.

    Grata
    Cyntia Lima

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: