Sismo em Abruzzo (Itália)

A Itália acordou em pânico! Eram 3h32, hora local (dados USGS) quando a zona montanhosa central dos Apeninos foi violentamente sacudida, por um sismo de magnitude 6.3 (Escala de Richter aberta). Há aldeias totalmente destruídas.

 

Trata-se do mais grave sismo a atingir a Itália nos últimos 30 anos, poderá ter feito também 50 mil desalojados, segundo a agência Reuters.

 

Mapa de Intensidade Sísmica

O sismo de magnitude 6.3 terá tido o seu foco a 10 km de profundidade, e encontra-se relacionado com uma falha normal (regime distensivo). Esta falha que libertou hoje energia tem uma orientação NW-SE, e atravessa a cordilheira dos Apeninos.

Mapa de Risco Sísmico (Itália)

Esta cordilheira estende-se por 1000 km ao longo da Itália central e costa leste, formando a coluna dorsal do país. Em termos geológicos, esta cordilheira corresponde a uma cunha acrecionária, formada numa margem continental activa numa zona de canvergência de placas (subducção).

A península Italiana é do ponto de vista geológico e tectónico bastante complexa. Por um lado temos a subducção da microplaca Adriática, sob os Apeninos no sentido Este-Oeste (O mar Adriático está a fechar…), por outro lado temos a colisão da placa Africana com a Euroasiática, colisão da qual resultou a abertura da bacia de Tirreno a Ocidente.  De acordo com os dados da USGS, o sismo de hoje encontra-se r

Algumas notícias : Expresso

Itália: Geólogo avisou para ocorrência de terrramoto

Giampaolo Giuliani, do Laboratório Nacional de Física de San Grasso, advertiu há poucos dias que ia ocorrer um sismo de grande magnitude em Itália, mas foi considerado alarmista.

Os danos do sismo em Itália poderiam, afinal, ter sido minimizados se as autoridades tivessem dado ouvidos às advertências feitas por um geólogo italiano para os riscos de uma tragédia. Há poucos dias, em declarações num programa televisivo, Giampaolo Giuliani disse ter dados científicos que apontavam para a iminência de um terramoto no centro do país. O responsável pela Protecção Civil chamou-o de “imbecil” e não lhe deu crédito.

Giampaolo Giuliniani foi acusado de propagar um falso alarme “desnecessário” e foram poucos os que lhe deram atenção. Isto apesar de o Centro de Terramotos de Itália também ter registado movimentos sísmicos na zona em questão.

O investigador reitera que a catástrofe que se abateu esta madrugada em Itália poderia ter sido evitada.

Segundo notícia publicada na edição online de hoje do jornal espanhol “El Mundo”, este investigador do Laboratório Nacional de Física de San Grasso fundamentou os seus receios com base nos fortes movimento sísmicos que estavam a ser registadas na zona de Aquila.

Graças a uma ferramenta chamada “Gamma Tracer” que Giuliani tem no seu laboratório, que assinalava a presença de réplicas contínuas, o investigador não teve dúvidas de que a zona iria ser afectada por um sismo de grande magnitude. E decidiu tornar público os seus receios.

Até aqui, os sismos eram considerados fenómenos não previsíveis. A tese de Giuliani, porém, baseia-se na análise de um gás radioactivo, o radón. Segundo o investigador, quando as falhas sísmicas se movimentam, este gás encontra um ponto de fuga e alcança a superfície, de modo que é possível apontar com precisão o lugar em que um sismo vai ocorrer.

Registo Vídeo

elacionado com uma falha normal, em regime distensivo, associada à abertura desta Bacia de Tirreno.

 Página do CSEM (Centro Sismológico Euro-Mediterraneo)

Mapa Google

Actividade sísmica na Europa nas últimas 24 horas (Parece que isto move-se)

Jornal Público – Terça-feira, 7 de Abril 2009

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: